João Rock 2018: Com destaque às apresentações de Pitty, Skank e Criolo, confira tudo o que rolou no festival

João Rock 2018 (Imagem: Igor do Vale/G1)

No último sábado (09), a cidade de Ribeirão Preto recebeu o João Rock, um dos mais conhecidos festivais do interior paulista, que chegou a sua 17ª edição. Apresentando mais de 10 horas de shows, o evento contou com 24 apresentações, divididas em quatro palcos, e agitou mais de 60 mil pessoas.

Embora carregue o rock no próprio nome, esse ano o festival também abriu espaço para estilos musicais relacionados e conseguiu agradar a ainda mais públicos. Andando por todo o espaço do Parque Permanente de Exposições, onde ocorre o evento, foi possível ver pessoas de diferentes idades, perfis e gêneros circulando entre os palcos para aproveitar o máximo de shows possível.

Os portões abriram às 14h30 e logo às 15h a música já começou a rolar no palco Fortalecendo a Cena, que recebeu, ao longo do dia, bandas que prometem animar o cenário musical brasileiro em breve, como Kilotones, Dônica, Sinara e Francisco El Hombre; e um rapper já conhecido em todo o país, o Rael.

O Palco Brasil, um dos mais bonitos de todo o festival, que possui formato da bandeira nacional, recebeu uma grande homenagem à Tropicália, o movimento cultural brasileiro que completou 50 anos. A banda Mutantes, o Projeto Refavela 40, de Gilberto Gil, Moreno Veloso, Anelis Assumpção, Chiara Civello, Bem Gil e Mestrinho; o Ofertório, de Caetano Veloso, Moreno, Zeca e Tom Veloso; e Tom Zé foram as grandes estrelas do palco e empolgaram o público com canções clássicas e composições atuais.
Ofertório durante o João Rock 2018 (Imagem: Roberto Galhardo/Divulgação)
Gilberto Gil durante apresentação do Refavela 40 no João Rock 2018 ((Imagem: Roberto Galhardo/Divulgação)
O palco principal do festival, o João Rock, foi dividido em duas estruturas para receber 10 artistas diferentes. Dessa maneira, um show acabava e logo em seguida outro se iniciava, sem fazer com que o público perdesse muito tempo enquanto a organização arrumava os equipamentos para a próxima apresentação. Ponto super positivo para o festival! A ordem de apresentações foi a seguinte: Napkin, Cordel do Fogo Encantado, Supercombo, Raimundos, Skank, Pitty, Natiruts, Gabriel O Pensador, Criolo e Planet Hemp.

Confira agora os nossos momentos preferidos do Festival:


Show do Skank

Skank no João Rock 2018 (Imagem: Denilson Santos/Deivid Correa/Agnews) 
Pense em uma dose de carisma, agora coloque em um palco e acrescente inquestionáveis hits: assim foi a apresentação do Skank no João Rock 2018. A banda subiu ao palco às 19h, quando o local já estava repleto de fãs prontos para cantarem com eles e não deixou a desejar em momento algum.

O carisma e carinho da banda pelo público é evidente. Quer dois exemplos? Samuel cantou sorrindo o tempo inteiro, sempre mostrando o quanto estava gostando de estar no palco, e o  baixista, Lelo, pulou do início ao fim da apresentação.
Com direito a um coro gigante, a banda interpretou clássicos como Partida de Futebol, Ainda Gosto dela, Jack Tequila, Vamos Fugir e Garota Nacional e deixou todo mundo maravilhado. Sentimos falta apenas da canção Sutilmente, uma de nossas preferidas.

Em um momento para lá de especial, Samuel perguntou ao público se tínhamos noção de como era lindo nos ver de cima do palco. Enquanto a platéia respondia a ele com gritos, o cantor pediu para os câmeras e fotógrafos subirem ao palco para mostrarem como o local estava. Ele emendou esse contato com os fãs fazendo um discurso sobre como atual fase da música nacional está difícil para todas as bandas e agradecendo a presença de todos.

A banda ainda anunciou que lança, ainda esse ano, um DVD gravado no Circo Voador, no Rio de Janeiro, em 2017. Cheio de sucessos mais “reggueiros”, do começo da carreira da banda; o trabalho também contará com duas faixas inéditas.

Show da Pitty

Emmily Barreto, Pitty e Tássia Reis no João Rock 2018 (Imagem: Denilson Santos/Deivid Correa/Agnews)
O show da Pitty no João Rock marcou a volta da rockeira para os palcos, que desde o ano passado não se apresentava. Por esse motivo, ela aproveitou a ocasião para mostrar novidades que poderão ser conferidas em sua próxima turnê, que se inicia em agosto, após o lançamento de um novo álbum.

Com um repertório bastante completo, a apresentação conseguiu agradar todos os fãs da cantora que estavam no festival. Ela entrou no palco com uma feição séria, compreendida após poucos segundos, quando os primeiros acordes do hit Admirável Chip Novo, um dos primeiros sucessos da carreira, ecoaram pelo João Rock.

Após cantar Me Adora, Pitty contou ao público que aquela parte do show havia sido apelidada de “Bloco da Sofrência” e brincou que não entendia o motivo para isso. Após a conversa, ela emendou os faixas Equalize e Na Sua Estante, deixando o público bastante emocionado.

O ponto alto da apresentação, sem dúvida, foi a participação das cantoras Tássia Reis e Emmily Barreto. As duas compartilham com a Pitty os vocais da faixa “Contramão”, lançada semana passada e interpretada pela primeira vez no festival. A canção mostra uma nova pegada da Pitty, com uma sonoridade mais diversificada e bastante influenciada também por outros gêneros musicais, como o rap.

As três ainda apresentaram outra surpresa ao público: um medley de músicas feministas! Entre as músicas destacam-se It's A Man's A Man's A Man's World, de James Brown, Run the World, de Beyoncé, Agora Só Falta Você, de Rita Lee e, para fechar, Maria da Vila Matilde, de Elza Soares.

Show do Criolo
DJ Dandan e Criolo no João Rock 2018 (Imagem: Denilson Santos/Deivid Correa/Agnews)
O show do Criolo foi uma grande surpresa. Após vermos bandas com diversos músicos, instrumentos e uma estrutura grande, subiu ao palco apenas um DJ e dois cantores. O receio antes do início da apresentação, no entanto, não durou um segundo após a primeira batida ecoar pelo João Rock.

Acompanhado do DJ Dandan e DJ Marco, Criolo nos apresentou um show elétrico, quase sem pausas para respirar (tanto ele quanto o público). Mesmo se tratando de um rap, cantado de maneira bastante rápida, era possível ver um grande público reproduzindo cada parte das letras das canções, e sentindo a música de verdade.

Em uma parte bastante especial, Criolo conversou com o público e aproveitou para reforçar como não devemos apoiar nenhuma atitude machista, homofóbica e racista. Ele também chamou atenção para a intolerância religiosa, fez uma homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada a tiros no Rio de Janeiro, em março, e ao cantor Tom Zé, que se apresentava no João Rock no mesmo horário que ele, no Palco Brasil.

O músico interpretou os seus principais hits, como Grajauex, Convoque Seu Buda e Não Existe Amor em SP. Durante essa a última, ele recebeu flores do público e colocou dentro da camisa enquanto cantava. No meio da faixa, ao observar a multidão cantando junto com ele, não segurou a emoção e agradeceu os presentes quase chorando.
A apresentação terminou com muitos minutos de palmas e gritos do público. Enquanto saíam do palco, o DJ Dandan gritou algumas vezes a palavra “FORA”, que logo em seguida foi completada pela platéia com o nome “TEMER”, formando um grandioso coro de “Fora Temer”.

###

Confira todas as fotos e vídeos que fizemos do João Rock 2018 no nosso Instagram (Aproveita e já segue a gente por lá também!): http://instagram.com/siteapaulista.

Agradecimento especial: Phábrica de Ideias - Assessoria em Comunicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário