Evandro Fióti: O grande empresário por trás de Emicida, Rael e o Laboratório Fantasma

Ele conversou com o À Paulista e contou sobre o hobby como DJ e o lançamento de Drik Barbosa, que acontece amanhã (16/03)


Evandro Fióti (Foto de divulgação)

Um dia lindo de domingo, bem ensolarado e acolhedor. O local é a Vila dos Ingleses, pertinho da estação Luz do Metrô de São Paulo. E o entrevistado da vez? Nada mais, nada menos que Evandro Fióti, o músico e empresário do Laboratório Fantasma.

Mesmo em um ambiente muito confortável, Fióti ainda estava nervoso enquanto conversava com o À Paulista, tudo porque ele tinha acabado de ser DJ por um dia, no Heineken Block.

"É a segunda vez que toco em um evento assim, mas eu ainda estou bem nervoso (risos). Tenho que treinar mais agora", contou.

Além da sua nova carreira como DJ (brincadeirinha), Fióti empresaria a vida artística de seu sócio e irmão Emicida, do amigo Rael e da nova aposta do rap Drik Barbosa, que lança seu primeiro EP Espelho amanhã (16/03).

Confira como foi o bate-papo:

À Paulista: Eu adorei a playlist, ficou bem eclética e a cara do evento. Em que você pensou ao criá-la? Foi especial para cá?

Evandro Fióti: Cara, na verdade, eu peguei músicas que tivessem um clima mais festivo, mais pra cima, e músicas que eu gosto de ouvir mesmo. Eu tenho essa playlist no Spotify já há mais de dois anos, como estava sem atualizar, fui atualizando agora por conta do evento. Procurei músicas que eu sabia que o público ia gostar, músicas mais pops e que eu curto também.

AP: Então é a primeira vez que você toca assim?

EF: Cara, não, é a segunda vez que eu toco como DJ (risos). Tenho que treinar mais agora (risos).

Fióti tocando no Heineken Block (Foto de Fernanda Uehara)

AP: E como você acha que essas oportunidades enriquecem na sua vida profissional?

EF: Primeiro que é um aprendizado, né? Eu, quando recebi o convite, chamei o Nyack (DJ que toca com Emicida) para me dar uns toques e ensinar um pouco das artimanhas da profissão. A gente deu uma estudadinha, sexta-feira, por uma hora, e aí eu vou continuar agora, pegar umas aulinhas com ele para estar melhor preparado para as oportunidades. Mas é legal, né? Não que eu vá ser DJ, nem tenho tempo pra isso, mas nessas oportunidades assim poder aprender, poder ouvir música, soltar música pras pessoas, pra elas conhecerem dali em diante. Eu sou muito observador, então eu ficava de cima do palco olhando as pessoas, como elas reagiam a cada música, umas mais conhecidas, outras que estavam ouvindo pela primeira vez, e aí ficavam prestando mais atenção. Acho que é isso, levo como um aprendizado e quero poder me empenhar um pouco mais para as próximas oportunidades.

AP: Então podemos dizer que ser DJ é o novo hobby do Fióti?

EF: Sim, é uma coisa que eu gosto de fazer, só tenho que fazer direito (risos). Tem muita gente que não é DJ e ataca como DJ. Eu não quero ser o cara que ataca como DJ, entendeu? Os cara que faz tem que fazer com respeito.

AP: Aproveitando que você falou que não tem tempo para isso e tudo mais, como anda a rotina lá no Laboratório Fantasma?

EF: Ah, a rotina está frenética, né? São três artistas, três carreiras, quatro, né? A minha, a dos meninos e a da Drik.

AP: A Drik vai lançar o novo EP (Espelho), como está?

EF: Isso, ela lança o EP na sexta-feira (16/03) e está bem legal. É um trabalho muito especial pra gente.

AP: Como anda a expectativa? A divulgação está pesada em cima disso.

EF: Eu estou com uma expectativa boa com esse trabalho, porque é o primeiro trabalho dela e eu sei como que é, como é colocar seu primeiro trabalho na rua. Embora ela já tenha gravado outras músicas, participado de várias outras faixas, ela tá bem feliz com esse momento. A gente (do LAB) também está, porque é a primeira mulher que a gente consegue lançar no cenário, coisa que já queríamos há muito tempo. Vamos levantar capital para fazer esse investimento na carreira dela, acho que ela vai estourar. Foi um aprendizado incrível, aprendemos muito com ela, porque é bem diferente trabalhar com um artista homem e com uma artista mulher. Estou muito satisfeito com o resultado, o pessoal vai curtir, porque é uma menina que emana muita energia positiva, ela tem muitas pessoas que a rodeiam e, inclusive, o público tem um carinho enorme por ela.

AP: E como está a repercussão do primeiro single (Melanina) que ela lançou com o Rincon Sapiência?

EF: É, a galera está curtindo bastante, tem tido só comentários positivos e surpreendentes em relação a esse primeiro trabalho que a gente lançou dela e aumentou ainda mais a expectativa pra esse primeiro trabalho que era o objetivo mesmo. Acho que vai ser um disco importante pra carreira dela e pra cena do hip-hop brasileiro.

A repercussão está tão boa, que a própria Ludmilla postou um vídeo, nas stories de seu Instagram, cantando o single Melanina.

Evandro Fióti e a editora Fernanda Uehara (Foto de Nadine Paula)

Para saber mais e acompanhar Evandro Fióti, Laboratório Fantasma e ver o lançamento do EP Espelho, que acontece amanhã, siga as redes sociais abaixo:

Evandro Fióti

Laboratório Fantasma

Drik Barbosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário