Literatura brasileira ganha nova saga de fantasia urbana

Misture um jovem em busca da verdade sobre si mesmo e o mundo ao seu redor, poderes relacionados aos elementos da natureza e uma narrativa que se passa no Brasil, e terá nas mãos a receita de “Herdeiros das Estrelas”. A nova série de literatura fantástica nacional promete entrar para a lista de obras de sucesso baseadas em elementos mágicos, sem deixar de lado as dores da transição entre a adolescência e a vida adulta. Quem nunca passou por isso, né? Só por isso já deu vontade de ler!


Alex e Alice, dois dos protagonistas da obra
Além do enredo que chama a atenção, a saga ainda tem outro ponto bem bacana: será publicada de forma independente, por meio de financiamento coletivo no Catarse, plataforma especializada que bateu a marca de R$60 milhões apoiados a criadores independentes no último mês. A campanha para o primeiro volume, intitulado "O Filho do Sol", já está rolando. Entre as recompensas pelo apoio estão ilustrações, um conto inédito e até mesmo a possibilidade de ter um personagem baseado no colaborador. Imagina ter seu próprio personagem, gente?? Queremos, sim!


Capa de "O Filho do Sol"
Daniel Renattini é autor de primeira viagem mas promete um universo literário complexo e com jeitinho brasileiro. “O gênero fantástico foi o meu primeiro amor na literatura. E quando descobri o primeiro livro do gênero com ambientação no Brasil, percebi o quão próximo me senti da história. É isso que quero: fazer o público se sentir inserido na narrativa", conta ele.

Olha um recadinho do próprio Daniel:


SINOPSE

Alex Cipriani é um elemental do fogo, capaz de invocar chamas. Ao mesmo tempo em que fica fascinado com a descoberta, o medo e a insegurança também rondam seus poderes. A namorada em coma, o pai desaparecido, aceitar esse novo dom... é possível que tudo esteja conectado de alguma forma? Agora, forças desconhecidas vigiam Alex, e cada decisão tomada poderá afetá-lo pelo resto da vida.
O Filho do Sol é o primeiro volume da série Herdeiros das Estrelas, onde, em uma realidade alternativa, pessoas que controlam elementos da natureza vivem entre nós. Porém, nem todos são tão pacíficos. Preconceito, misticismo, genética e tecnologia se unem nesta narrativa tomando como cenário inicial o Brasil no ano de 2020.
Se tem uma coisa que a gente gosta aqui no À Paulista é enaltecer trabalhos da nossa terrinha, então que tal ser um colaborador? Você pode apoiar o projeto aqui! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário