Noite de muita música com o Billboard Music Awards 2017

Medley da Nicki Rainha Minaj, apresentação karaokê-com-vibe-de-house-party-delicinha da Lorde, Drake performando na fonte do Bellagio, BTS fazendo história para a música coreana, Céline Dion cantando a música-tema de Titanic e um tributo sensacional para a maior diva que você respeita: dona Cher. E não foi só isso, não! Ou seja, já dá para ver que rolou muuuuita coisa nesse último domingo (21), durante o Billboard Music Awards 2017 e o À Paulista acompanhou tudinho pra contar os destaques pra vocês!


O “magenta carpet”, marca registrada do BBMAs, recebeu uma enxurrada de estrelas na noite de ontem em Las Vegas. A gente nem precisa falar que nos apaixonamos por metade das roupas ali, né? 

Às 21h (horário de Brasília) começou o babado todo lá na T-Mobile Arena e quem abriu o espetáculo foi ninguém menos que Nicki Minaj, com um #MinajMedley maravilhoso de "No Frauds" com Lil Wayne, "Light My Body Up" com David Guetta, "Swalla" com Jason Derulo e "Regret in Your Tears". Toda trabalhada no latex preto e cabelo de MC Pocahontas, a rapper mostrou que foi escolha certíssima pra começar a premiação. Confira como foi a apresentação, que já ditou o tom do evento logo do início.


Outra apresentação ótima ficou por conta da cantora Camila Cabello, que apresentou “I Have Questions” e “Crying in the Club” – lançada na última semana e apresentada ao vivo pela primeira vez durante a premiação - toda sexy e bonequinha como Cabello sempre é. O palco, que parecia pegar fogo, fez jus ao talento da cantora.



Uma pausa rápida pra falar que os apresentadores da noite, a dupla Ludacris e Vanessa Hudgens, foi um dos pontos altos do BBMAs. Começando com a nossa eterna Baby V passando por dois “testes” – fazer o rap da Nicki em “Monster” e cantar um trecho de “The Power of Love” da Céline Dion – a apresentação da dupla embalou a premiação de um jeito engraçado sem ser forçado. Pontos pra eles!

Outro duo que fez bastante sucesso foi o The Chainsmokers, que levou pra casa quatro prêmios, incluindo “melhor colaboração” e “melhor música na Hot 100″ pelo hit “Closer”, em parceria com a nossa girl crush Halsey. Eles ainda se apresentaram com a música “Young”, pra alegria dos fãs.

A fofinha Julia Michaels – conhecida por compor para artistas como Justin Bieber, Selena Gomez, Demi Lovato e Fifth Harmony - apresentou uma versão do hit “Issues” (que inclusive já está presente na nossa playlist, que música!) e se emocionou um pouquinho no final. A gente entende, não é todo dia que você apresenta seu primeiro single solo no palco do BBMAs, né mores?


Quem também “apareceu” foi nosso mozão britânico Ed Sheeran, que fez sua apresentação ao vivo durante um show em Santiago, transmitido simultaneamente para a T-Mobile Arena. Ed muito chique, gente! O ruivo mais amado da música cantou “Castle on the Hill” e deixou ambas as plateias (em Santiago e em Las Vegas) com uma vibe deliciosa. A gente não esperava menos!


Uma das apresentações mais esperadas da noite foi a da outrora-bad-girl-com-a-língua-de-fora Miley Cyrus, que repaginou tanto o visual quanto o conceito musical da carreira e apresentou uma versão especial da música “Malibu”, com a vibe mais calma e voltada para um country folk amorzinho. E ainda rolou uma chuva de bexigas coloridas pra marcar a apresentação e a nova fase da artista, que chorou ao final da canção. Fofa, né?

Nesse meio tempo, o Drake já tinha levado metade dos prêmios da noite, chegando perto de quebrar o recorde da Adele para mais prêmios da Billboard recebidos no mesmo ano, e cantado a Vanessa Hudgens. Momentos, né Drake?

No meio disso tudo ainda tivemos homenagens a dois grandes nomes da música: o rapper The Notorious B.I.G, morto na década de 90 e que faria 45 anos ontem, foi lembrado por um de seus amigos, o também rapper Diddy. Ele fez uma aparição surpresa com o filho de Biggie, CJ Wallace, e mostrou o trailer do documentário "Can't Stop Won't Stop: A Bad Boy Story" - que irá contar a história da gravadora Bad Boy Records, criada por Diddy e da qual Biggie fazia parte;  e o cantor Chris Cornell, líder da banda Soundgarden, que faleceu no último dia 17. Dan Reynolds, vocalista do Imagine Dragons, pediu um minuto de silêncio em sua memória. 




Com diversas apresentações espalhadas pelas três horas de premiação, outra que foi muito aguardada e bem original foi a da neozelandesa Lorde, que criou uma atmosfera relaxada com uma house party no palco e a letra do hit “Green Light” passando em uma tela de TV, igualzinho a um karaokê. A cantora também dançou daquele jeitinho bem Lorde que todos amamos e provou que estamos muito certos em esperar pelo seu segundo álbum, Melodrama

Quem também deu o ar de sua graça foi o sapão Sam Hunt, representando o country com a apresentação da canção “Body Like A Back Road”. Que voz delícia, gente! A apresentação foi uma das mais “simples”, mas não tirou nada do resultado final e deixou todo mundo batendo palmas no ritmo da música. Aprovamos demais!

Pausa para um dos acontecimentos mais bacanas da noite: o grupo coreano de KPop Bangtan Sonyeondan, ou BTS (para os íntimos), foi uma das surpresas mais agradáveis tanto no magenta carpet quanto durante a premiação. Eles foram indicados ao prêmio Top Social Artist, categoria votada pelos fãs na internet, ao lado de nomes como Ariana Grande e Justin Bieber, e venceram por uma grande margem de votos (quando dizemos grande, é porque eles tiveram mais de 300 milhões de votos no total. 300 milhões de votos, gente!), abrindo caminho para artistas do gênero nos próximos anos e mostrando que música transcende linguagem, sim senhor! Aliás, parabéns para o fandom dos meninos, as ARMYs, por serem tão dedicadas. Na última passagem do grupo pelo Brasil, com a The Wings Tour em março desse ano, já deu pra sentir que eles só estão no começo, já que os dois dias esgotaram em questão de minutos meses antes dos shows. Mal conhecemos e já consideramos pakas, sim!  



Duas palavras sagradas: Céline Dion. Que mulher, que talento, que voz! Ela foi convidada pela Billboard para cantar “My Heart Will Go On”, tema clássico do filme Titanic (sdds Leo Di Caprio novinho conquistando geral!), para comemorar os 20 anos da canção. E deixou todo mundo emocionado, como era de se esperar. No final da apresentação, a cantora foi ovacionada por vários minutos e se emocionou. Sabemos que não é uma época fácil pra ela, então fica aqui nosso apoio e admiração por uma das mulheres mais fortes do show business. Amamos Céline!


A banda Imagine Dragons levou uma batida um pouco mais forte com o hit “Believer”, numa apresentação que deixou todo mundo vibrando nos assentos. Como os representantes do indie rock da noite, a banda não decepcionou, com vocais poderosos e instrumental impecável como sempre. Come back to Brasil!

O dono da noite e da porra toda, Drake se consagrou como o grande ganhador da edição 2017 do BBMAs, com 13 prêmios, incluindo o mais importante da noite, “Melhor Artista”. Inclusive bateu o recorde, viu? Como se isso não bastasse para deixar a noite do artista ótima, ele ainda foi uma das performances mais aguardadas (e aplaudidas) da premiação. O rapper apresentou “Gylachester”, do álbum More Life, diretamente das famosas Fontes do Bellagio, e contou com uma explosão de energia aliada a fogos de artifício e às águas da fonte para criar uma das apresentações mais esteticamente estonteantes da noite. Depois de tudo isso, já dá pra entender porque ele foi o grande nome da noite, né?



Já a americana Halsey, que recebeu junto ao The Chainsmokers os prêmios pela canção “Closer”, apresentou uma música do próximo álbum (que já estamos loucas para ouvir), o hopeless fountain kingdom, que vai ser lançado no próximo dia 2 de junho. “Now or Never” (que inclusive já tem um clipe todo cheio de detalhes e simbolismos na Vevo) foi a canção escolhida, e a cantora não fez feio, não: com vocais delicados mas que preencheram toda a arena, ela foi uma das artistas que mais interagiu com a plateia. O cenário, que contou com uma cortina cheia de rosas amarelas e vermelhas, arranjos de flores e castiçais, foi um show à parte. Somos fãs desde Badlands, miga!

O amor eterno do À Paulista© John Legend também foi um dos performers da noite. Ele cantou “Surefire” enquanto tocava piano, e praticamente fez a gente suspirar do lado de cá enquanto a plateia do lado de lá acendia centenas de luzes brancas para acompanhar a apresentação. O duo Florida Georgia Line então apareceu no palco e emendou a performance com a canção “H.O.L.Y”, ainda com Legend ao piano. Uma das melhores performances da noite, pela emoção e pelo talento. Impossível não amar esse mashup maravilhoso.

Outro dos momentos mais icônicos da premiação foi a apresentação da diva-mor Cher, com os hits “Believe” e “If I Could Turn Back Time”, antes de receber o ICON Award por toda a sua contribuição e trabalho na indústria musical. Aos 71 anos, a artista botou muita novinha no chinelo, viu? São 53 anos de carreira, 15 anos desde que ela se apresentou em uma premiação, e ela mostrou que não perdeu o jeito de maneira alguma, apresentando uma performance cheia de energia e ainda trocando de figurino entre as canções enquanto rolava um vídeo mostrando as maiores conquistas ao longo dos anos. Ao aceitar o prêmio das mãos de Gwen Stefani, a cantora ainda se mostrou humilde ao dizer que grande parte da sua vida foi relacionada à sorte e “um algo a mais”. O À Paulista te venera, Cher!

Pra terminar a noite com um sonoro ~bang~, o queridinho Bruno Mars cantou uma versão bem delicinha de “Versace on the Floor”, lá de Amsterdam. A gente tava quase jogando as nossas roupas no chão do lado de cá da tela? Talvez. Mas que adoramos a performance, isso com certeza! Vale lembrar que o moço Bruno vem pro Brasil ainda esse ano com a 24K Magic World Tour. Restam dúvidas de que vai ser sucesso?

Ufa! Billboard não é pouca porcaria não, né gente? Adoramos e já queremos a edição 2018! E vocês, o que acharam? A lista completa de ganhadores pode ser acessada aqui.



Nenhum comentário:

Postar um comentário