Eu não fiquei brava com ele



O dia mais importante da minha vida estava chegando, ele era o mais esperado por mim em todos os anos de minha existência. E eu convidei as pessoas mais importantes para estarem lá.

Do dia anterior para esse, eu nem dormi direito, o nervosismo era enorme. Eu acordei às 4h30 (sim, da manhã) para começar me arrumar. Na verdade, só me levantei, porque já não conseguia dormir mais.

Eu não conseguia comer, desde o dia anterior, mas a dor de barriga era tanta que eu precisei usar o banheiro duas vezes, só nos primeiros 30 minutos em que estava de pé.

Já recuperada, mais ou menos, eu coloquei o vestido que comprei para a ocasião e sentei-me em frente ao espelho para me maquiar.

Marcava 5h23 no relógio e meu celular tocou. O nome dele apareceu na tela e eu atendi no segundo toque, era meu melhor amigo.

Eu atendi tão feliz e empolgada, aquele era o dia mais importante da minha vida, mas em tão pouco tempo eu quase desabei a chorar. Ele me disse que não iria.

Achei que era brincadeira dele. Afinal, ele estava acordado aquela hora, era só se arrumar e sair. Mas não era brincadeira. Ele disse que não iria porque passara a noite anterior inteira bebendo, que nem havia dormido ainda, estava muito cansado.

Meu coração chegou a parar por alguns segundos e meus olhos se encheram de água, eu só não chorei para não borrar a maquiagem que ainda estava fazendo.

Ele me pedia incessantemente para que não ficasse brava com ele. O que ele não entendia é que eu não estava brava com ele, eu estava chateada. Chegou até me oferecer o presente que eu quisesse, que ele me dava, mas o presente maior seria vê-lo ali no dia mais importante da minha vida.

Ficamos 11 minutos na ligação, eu precisava desligar para continuar me arrumando, então ele me pediu para que eu ligasse de volta quando o evento acabasse, que mesmo sendo cedo, ele acordaria para falar comigo.

Quando tudo acabou, eu não consegui dar atenção direito para os que estavam ali, nem mesmo ao meu pai, e fui correndo ligar para ele. Para que, se ele nem me atendeu?

Eu tinha dito para ele, semanas antes, que se ele não fosse eu nunca mais falaria com ele. Quando ele me ligou de volta, à tarde, eu atendi, né? Não consigo fazer com os outros o que não quero que façam comigo.

Contei como foi tudo, mas estava bêbada e a ligação falhava. Não entendia direito o que ele dizia. Do pouco que entendi, ele me parabenizou e disse que já sabia. Que tudo era mérito meu, que eu sempre me esforcei e relembrou toda minha trajetória - bom, parece que pelo menos um pouco ele me conhece.

Agora, como terminar esse texto se eu não soube nem cumprir com minha palavra quando disse que nunca mais falaria com ele? Acho que eu só preciso parar de dizer tanto que o amo, já que não sou correspondida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário