Se Deus existe ele se chama Sabotage e acabou de ressuscitar




Desde a notícia sobre o lançamento do álbum póstumo de Sabotage, os fãs do rap nacional foram a loucura. E eu, claro, como a cota rap do À Paulista, não podia deixar de baixar o disco, ouvir, morrer e ressuscitar, assim como ele, para escrever a respeito.

O rapper paulistano, assassinado aos 29 anos, com quatro tiros, em 24 de janeiro de 2003, deixou esposa e dois filhos (Maria Dalva, Wanderson e Thamires), além de músicas inacabadas, que temos o maior prazer de ouvir graças ao trabalho dos produtores e amigos Daniel Ganjaman, Tejo Damasceno, Rica Amabis, Cia, Quincas Moreira, Tropkillaz, DJ Nuts, Mr. Bomba e, ufa, Dunai. Foram mais de 10 anos de produção dessa discografia fantástica.

Eu tinha apenas 8 anos de idade quando ele morreu, mas agradeço todos os dias por conhecer o trabalho que ele fez em vida. Demorei um tanto para conhecer suas músicas, minha família, tanto por parte de pai, quanto de mãe, nunca foi de ouvir rap. Mas eu cresci, conheci muitas pessoas, que, ainda bem, enriqueceram minha bagagem cultural, e tive o prazer de ter contato com suas músicas.

Enfim, o CD com nome homônimo 'Sabotage' possui 11 faixas e uma versatilidade musical sem igual. Até samba se faz presente com a música Maloca É Maré”, trabalhada em conjunto por Rappin' Hood, Instituto, Ganjaman, Funk Buia e Duani, e bossa nova com O Gatilho”, de Rodrigo Brandão, BNegão, Instituto, Quincas, Ganjaman e Céu.

A lista ainda inclui “Mosquito”, produzida pela dupla Tropkillaz, com vocais dos filhos de Sabota. Essa música é um tanto quanto emocionante, já que foi lançada em 2002 e cantada por seus herdeiros em entrevista ao Uol, quando sua morte completou 10 anos, em 2013.

Se é para falar de emoção, o que é a “Quem Viver Verá”, com o rapper Dexter, gravada um dia antes do assassinato? Não podia faltar, óbvio.

Agora posso falar? A que, sem dúvidas, mais me tocou foi “Canão Foi Tão Bom”, com Instituto, Lakers, Negra Li, Ganjaman e DBS. Depois de ouvir a discografia inteira e reouvir essa faixa, sentia que já podia morrer bem, porque não precisava ver/ouvir nada mais na vida. Que música do caralho, não é mesmo?

Sobre as demais músicas, eu deixo que vocês, sozinhos, tirem as conclusões. Que Sabotage foi e ainda é um cara FODA, é concreto, e a nós só resta agradecer por viver tão perto dele (seja na mesma cidade ou ouvindo suas músicas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário