#Entrevista2 - Lucas Freitas: @pqpvoces, Jesus Manero e muita saúde mental, ou não

Há sete anos a rede social que mais bombava era o Twitter, não é mesmo? Youtuber era pouco perto de tuiteiros com vários Ks de seguidores e outros tantos retuítes, os famosos RTs.

A rede, atualmente, não é mais tão utilizada assim. Daqueles tempos para cá as pessoas aderiram ao Instagram, ao Snapchat, e no Twitter só ficaram os mais fortes, como Lucas Freitas, ou o famoso @pqpvoces.

Com apenas 20 anos de idade, ele, que é Blumenau, em Santa Catarina, é estudante de publicidade e propaganda e, além de administrar sua conta no Twitter, cuida de seu perfil no Facebook, de seu canal no Youtube, e ainda cuida da página e escreve para o site Jesus Manero.

Lucas ainda disse pra gente que pretender vir morar em São Paulo, porque todas as pessoas que tenham estruturas psicológicas precisam ter a experiência de viver aqui. A real é que daí essas pessoas vêm pra cá e perdem a saúde mental, mas continuamos amando a belíssima selva de pedra.


Leia a entrevista na íntegra:

À Paulista: Desde quando você é tão reconhecido virtualmente?

Lucas Freitas: Desde meados de 2010. Terminei o ano com 45 mil seguidores no Twitter! (Hoje ele tem cerca de 270 mil)

AP: Por que acha que as pessoas se identificaram tanto com seus tuítes?

LF: Creio eu que por ser adolescente e acabar falando sempre o que muita gente se identifica, isso gera uma empatia beeem bacana, e é assim desde o começo. A galera encontra alguém que se identifique, e isso acontece com bastante gente no Twitter, não só comigo, claro. 

AP: As pessoas costumavam dizer que você era engraçado antes do Twitter?

LF: Eu sempre fui o amigão engraçado da galera, não por fazer piadas - não sei contar piada, sério -, mas por não ter vergonha e falar várias bobajada (risos). Mas não levei isso em conta na hora de criar o Twitter ou fazer graça por lá, é tudo natural. 

AP: Você criou o Twitter já com o intuito de ser famoso virtualmente ou só porque era a rede social do momento mesmo?

LF: Nãããão, ser "famoso" nunca foi a intenção. Eu criei o Twitter porque gostava de comentar o Acesso MTV, na época. Logo depois, acabei mudando de cidade e, como não tinha amigos ainda, usava como meio pra me divertir e distrair a cabeça, aí virou tudo isso que é hoje.

AP: Por que esse user (pqpvoces)?

LF: O user veio graças à um meme da época que era... justamente falar "pqp vcs viu".

AP: Já fizeram alguma comparação entre você e outro ícone virtual? Qual?

LF: Muita gente, muita mesmo, acha que eu e o @luscas somos a mesma pessoa. Outros também dizem que minha voz é igual a do PC Siqueira.

AP: Como você lida com essas comparações?

LF: Quando a comparação é com o Luscas eu acho engraçado, quando é com o PC, fico meio assim... tenho medo que acabem confundindo com alguma imitação. 

AP: Quais outras redes você utiliza? Em qual delas tem feito mais sucesso ultimamente?

LF: Eu uso o Facebook diariamente, quase que 24 horas por dia, para trabalho. Tenho também um canal no Youtube que posto bem esporadicamente, só quando dá na telha, e o Instagram que amo muito. O Instagram tem dado bem certo, mas nada comparado ao Twitter.

AP: Como é o seu trabalho no Jesus Manero?

LF: O trabalho no Jesus™ é simples, a equipe é grande e bem dividida. Eu escrevo alguns posts e posto na página do Facebook. O trabalho maior fica com o @berriel (dono do blog) e o @guip, outro redator. Quando rola post patrocinado, as ideias ficam com o @YgorFremo. O Jesus Manero acabou tornando-se uma equipe bem bacana pro Blog e no Twitter. Nós nos vendemos como equipe e fechamos várias ações por lá.

AP: Como você se vê no futuro?

LF: Pro futuro eu tenho muitos planos. Sou publicitário prestes a me formar na faculdade, então pretendo ir embora da minha atual cidade, ir para algum lugar maior que me permita crescer profissionalmente (SP). Tenho como ideia quase utópica abrir minha própria agência de Digital, ainda não trabalho muito nessa, até porque com 20 anos a gente não tem maturidade o suficiente para tal, mas quem sabe daqui uns 5 ou 10 anos, né? 

AP: Você acredita que possa fazer mais sucesso? Como?

LF: Acho que a definição de sucesso varia muito de pessoa pra pessoa. Pra mim, sucesso é o fruto do meu trabalho, e atualmente, tem dado muitos frutos por aí. Agora, se tratando de fama, acredito que investir no YouTube seria uma boa opção. Tá na moda agora.

AP: Sua experiência na internet teve alguma influência na escolha do curso que está fazendo?

LF: Não! Eu tinha escolhido publicidade há muito tempo. Cheguei a cogitar ciências da computação mas logo vi que não era pra mim. 

AP: Você já ganhou coisas, tipo jabá, simplesmente porque é famoso virtualmente? Você gosta disso?

LF: A gente ganha bastante coisa, bastante mesmo, desde ingresso pro cinema até roupa, comida, celular... Mas divulgamos só o que achamos legal e que valha a pena. A gente não pode trocar um tuíte patrocinado pelo valor de uma camiseta. O mercado é bem complicado em relação à isso, Mas é bem legal sim, principalmente quando a marca mostra que se preocupou em saber direitinho quem você é e do que você gosta.

AP: O que São Paulo representa pra você?

LF: São Paulo é o coração do Brasil, seja financeiramente ou culturalmente. Tive poucas oportunidades de ir até aí, mas logo na primeira, me apaixonei. São Paulo combina muito com meu ritmo, é inquieta, não para por um segundo, é inconstante e não dorme. Tenho planos de me mudar para SP em breve. São Paulo é uma experiência que todo mundo que tenha estrutura psicológica tem que viver.  

AP: Qual lugar de São Paulo é mais a sua cara?

LF: Qualquer lugar que tenha um bom bar, um lugar pra ficar sentado, cerveja música boa. A Vila Madalena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário